domingo, 9 de agosto de 2020

Em cinco meses no Brasil, coronavírus matou mais do que HIV em 9 anos

 


Com números cada vez mais devastadores no Brasil, o novo coronavírus atingiu a triste marca de 99.572 vidas levadas pela doença nesta sexta-feira (7). Os dados divulgados pelo Ministério da Saúde (MS) mostram também que 2.962.442 já foram infectadas pela covid-19. Mesmo sendo considerada a epidemia do século XX, o HIV e as doenças associadas à Aids demoraram pouco mais de 9 anos para chegar a marca que o coronavírus registrou em menos de cinco meses. Neste sábado (8), a covid-19 deve chegar a 100 mil mortes e 3 milhões de diagnósticos positivos.
Com a primeira morte sendo confirmada pelo MS no dia 17 de março, a covid-19 tem mantido uma média superior a 1 mil mortes diárias. Segundo o DataSUS, sistema de vigilância em saúde do governo federal, entre 1996 e 2018 o HIV matou de 270.591 brasileiros, mas a marca de 100 mil óbitos demorou quase uma década para ser registrada.
Somente um país do mundo tem números maiores que o do Brasil na pandemia do coronavírus: os Estados Unidos. De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), 4.858.596 pessoas foram infectadas em solo americano (56.105 a mais do que esta quinta, 6) e 158.887 morreram (1.256 óbitos a mais em 24h).Outra doença que causa medo nos brasileiros, a dengue, em 23 anos matou 6.984 pessoas. No pior ano, a dengue levou 782 vidas. Nas últimas 24 horas, no Brasil, foram somados ao número total 1.079 óbitos e 50.230 novos casos. No mesmo período usado para comparar a dengue, de 1996 a 2018, a malária causou 2.342 falecimentos.
Há 102 anos, desde a gripe espanhola, o Brasil não perdia tantas vidas em uma velocidade tão alta. No atual ritmo de mortes, o total atingido pela tuberculose deve ser ultrapassadas durante a próxima semana.
A tuberculose foi a causa de mortes de 104.268 pessoas em território brasileiro entre 1996 e 2018, de acordo com a plataforma DataSUS. Somente em 2017, depois de 22 anos a doença atingiu a mesma marca de falecimentos da covid-19.
Coronavírus em Pernambuco
Nesta sexta-feira, Pernambuco confirmou mais 1.477 casos nas últimas 24 horas. Segundo o boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), agora são 102.872 diagnósticos positivos para a doença. Além disso, foram confirmados mais 39 óbitos, agora, o estado totaliza 6.867 vidas perdidas desde o início da pandemia.
Jc

Governo recupera quase R$ 110 milhões em devoluções do auxílio emergencial


O governo federal diz que recuperou até esta sexta-feira (07) R$ 109,1 milhões em devoluções do auxílio emergencial. Segundo o Ministério da Cidadania, mais de 115 mil pessoas que receberam o auxílio e não se enquadravam nos critérios para o recebimento devolveram o valor aos cofres da União. São 89,1 mil devoluções registradas por civis e outras 26,2 mil por militares.
As devoluções podem ser feitas por meio do site “Devolução Auxílio Emergencial”, em devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br. Por lá, é possível emitir a Guia de Recolhimento da União (GRU) para restituir os pagamentos indevidos do auxílio. Dos 65,8 milhões de beneficiários do programa emergencial, apenas 0,44% não se encaixam nos critérios da lei, o que representa efetividade de 99,6% do Auxílio Emergencial, segundo o governo.
“O número de devoluções é muito significativo e expressivo, mas na verdade tivemos uma ação importante que resultou de um acordo com a Controladoria-Geral da União, que foi a transparência ativa, um conceito de combate à falha e à corrupção muito importante”, afirmou Onyx Lorenzoni, ministro da Cidadania. Essa parceria citada por Onyx com a CGU prevê troca de informações e documentos, além do acesso às bases de dados relacionadas ao Bolsa Família (PBF), o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e o Cadastro Único, necessários à fiscalização do cumprimento aos requisitos exigidos para pagamento do auxílio.
Considerado os pedidos do auxílio que foram negados, 108,9 milhões de cadastros foram analisados. 67 milhões deles foram considerados elegíveis. Desses, 19,2 milhões pelo Bolsa Família, 10,5 milhões pelo Cadastro Único e 37,2 milhões pelo aplicativo e o site da Caixa.

Desemprego sobe para 13,3% em junho

                                 

A taxa oficial de desemprego no Brasil subiu para 13,3% no trimestre encerrado em junho, atingindo 12,8 milhões de pessoas, com um fechamento de 8,9 milhões de postos de trabalho em apenas 3 meses em meio aos impactos da pandemia de coronavírus.
Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua), divulgada nesta quinta-feira (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
O resultado representa uma alta de 1,1 ponto percentual na comparação com o trimestre encerrado em março (12,2%) e de 1,3 ponto percentual em relação ao mesmo trimestre de 2019 (12%).
Trata-se da maior taxa de desemprego desde o trimestre terminado em maio de 2017, quando também ficou em 13,3%. E o desemprego só não foi maior porque muita gente simplesmente deixou de procurar emprego ou não estava disponível para trabalhar em meio à pandemia de coronavírus.
A taxa de desemprego em junho ficou ligeiramente abaixo da mediana de 30 instituições financeiras e consultorias ouvidas pelo Valor Data, de 13,4%.

G1

Câmara aprova aumento de pena para quem fraudar auxílio emergencial

                   

A Câmara dos Deputados aprovou na última quarta-feira (6) uma proposta que muda o Código Penal, estabelecendo novos tipos de estelionato e ampliando em 1/3 a pena para quem embolsa o auxílio emergencial do governo de forma irregular, por exemplo.
As informações são da coluna Radar, da revista Veja. Agora o texto segue para o Senado, onde se for aprovado, virará lei. O dispositivo que mira os fraudadores do auxílio foi sugerido pelo deputado paranaense Rubens Bueno (Cidadania).
Em entrevista a coluna, ele explica que os crimes de estelionato, por serem considerados de médio potencial ofensivo, são atualmente punidos com pena de reclusão de um a cinco anos. Para Bueno, isso pode trazer benefícios, como o da suspensão condicional do processo.
"É notório que eles [os estelionatários] causam graves prejuízos para famílias e também para a administração pública, ainda mais nesse momento de pandemia, quando golpistas se aproveitam da tragédia que vivemos. Nada mais justo do que aumentar a pena”, opina.

Menina de oito anos fica ferida ao ser baleada pelo irmão dentro de casa em João Pessoa na Paraíba

 

A PM informou que ao chegar no local, encontrou 50 munições de pistola e várias de fuzil, colete, além de duas pistolas e um revólver, e que o menino estaria em posse de uma das armas. 

A criança foi socorrida para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Tibiri, em Santa Rita. De acordo com o serviço social da unidade, ela foi atingida por um tiro na perna e o estado de saúde da vítima é considerado estável. 

A criança deve ser encaminhada ainda neste sábado para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa.

ClickPB

Brasil supera 100 mil mortes pela Covid-19

                              

Menos de cinco meses após registrar a primeira morte causada pelo novo coronavírus, o Brasil superou na tarde deste sábado a marca de 100 mil óbitos decorrentes da doença.

Com o registro de 538 novas mortes desde a véspera até 13h30 deste sábado, o país soma assim 100.240 mortos pela doença, segundo dados coletados com as secretarias estaduais da saúde pelo consórcio formado por Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, o Globo e G1.

O número de casos registrados, por sua vez, beira os 3 milhões, com 21.732 novas notificações e um total de 2.988.796 pessoas que tiveram a infecção confirmada, mas é provável haver subnotificação. 

Avião se parte em dois durante pouso no sul da Índia e deixa ao menos 15 mortos

Ao menos 15 pessoas morreram e outras 123 ficaram feridas, em um acidente de avião da companhia aérea Air India na cidade de Calicute, no sul da Índia, nesta sexta (7).

A aeronave, um Boeing 737 com 191 passageiros e a tripulação a bordo, realizou um pouso de emergência sob forte chuva e, ao ultrapassar a pista, caiu em um vale, partindo a fuselagem do avião em dois.

O voo vinha de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, e era operado pelo governo, que repatriava indianos durante as restrições internacionais de viagens devido à disseminação do novo coronavírus, afirmou o Ministério da Aviação Civil em um comunicado. Havia dez crianças na aeronave.

"De acordo com os relatórios iniciais, os passageiros estão sendo levados ao hospital para atendimento médico", disse o ministério. Não havia fogo a bordo, segundo o comunicado da pasta.

O último grande acidente aéreo na Índia ocorreu em maio de 2010, em circunstâncias muito parecidas.

Um outro Boeing 737 da Air India que vinha de Dubai teve problemas ao pousar no aeroporto de Mangalore. A aeronave não conseguiu parar e caiu em uma colina ao final da pista. Em seguida, pegou fogo.

Ao todo, 158 pessoas morreram e oito sobreviveram.

    Reprodução / Redes sociais

 

    Reprodução / Redes sociais

Em julho de 2019, três aviões escaparam da pista em menos de 24 horas em diferentes aeroportos do país, mas não houve grandes danos, e passageiros tiveram apenas ferimentos leves.

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, escreveu no Twitter que está "machucado pelo acidente [no aeroporto de] Kozhikode". "Meus pensamentos estão com aqueles que perderam seus entes queridos. Que os feridos se recuperem o mais cedo possível."

O ministro da Defesa, Rajnath Singh, chamou as notícias desta sexta-feira de devastadoras. "Estou profundamente angustiado com as mortes no acidente com o voo da Air India", publicou Singh no Twitter.

O ministro das Relações Exteriores, Subrahmanyam Jaishankar, também enviou orações para as famílias e disse aguardar mais detalhes do caso. "Profundamente consternado sobre a tragédia da Air India."

Em fevereiro, outro Boeing 737 se partiu após falhar na aterrisagem. O caso ocorreu em Istambul. Havia 183 pessoas a bordo, e três morreram. O pouso também ocorreu em meio à forte chuva.

Naquela ocasião, a parte da cabine dos pilotos ficou totalmente separada do resto da fuselagem. O avião pertencia à Pegasus, uma companhia de baixo custo da Turquia.

FOLHAPRESSSÃO 

PAULO, SP

Em cinco meses no Brasil, coronavírus matou mais do que HIV em 9 anos

  Com números cada vez mais devastadores no Brasil, o novo coronavírus atingiu a triste marca de 99.572 vidas levadas pela doença nesta sext...