sexta-feira, 31 de março de 2017

O açude de Triunfo é o retrato da seca na região.

 
A chegada do inverno costuma ser motivo de alegria em Triunfo, no Sertão pernambucano. A cidade, localizada no ponto de maior altitude do Estado, registra temperaturas baixas durante a estação, o que estimula o turismo. Este ano, no entanto, os visitantes não poderão contemplar um dos cartões-postais do município. Isso porque o açude símbolo da cidade está quase seco devido à estiagem que castiga o Sertão nos últimos cinco anos.
Em janeiro e fevereiro, choveu apenas 46% do total esperado na região. A quadra chuvosa é registrada nos quatro primeiros meses do ano. O prognóstico divulgado pela Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) não é motivo de alívio: em praticamente todo o Estado, as precipitações estão abaixo do esperado para o período de abril a junho.
As chuvas abaixo da média se explicam por um sistema meteorológico chamado Zona de Convergência Intertropical, que atua na região equatorial. “De acordo com a temperatura dos oceanos, ele se desloca para norte ou sul, onde está localizado o Nordeste. Este ano, como as temperaturas ficaram abaixo da média, o sistema não se deslocou tanto para o sul como esperado. Isso se refletiu na quantidade menor de chuva”, explica o meteorologista da Apac, Roberto Pereira.
Dados da Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe) dão conta de que 126 dos 185 municípios do Estado estão em situação de emergência devido à seca. A maior parte deles (70) está no Agreste e os outros 56, no Sertão. Ainda segundo o órgão, cerca de 1,5 milhão de pernambucanos são afetados pela falta de chuva.
A estiagem não baixou apenas o nível do açude de Triunfo, que não é monitorado pela Apac. A água acumulada nos reservatórios sertanejos representa apenas 1% da capacidade total, a situação mais desoladora do Estado. Na região, 20 dos 38 reservatórios estão zerados, em colapso total, segundo a Apac. Os outros 18 estão com capacidade abaixo de 10%. Entre os mais críticos estão o Cachimbo, em Parnamirim, Rosário, em Iguaraci, e Saco I, em Serra Talhada. Maior do Estado, o reservatório Engenheiro Francisco Sabóia, em Ibimirim, também está em colapso.
O único reservatório a apresentar um pequeno aumento no nível de água, segundo a Apac, é o de Algodões, localizado em Ouricuri, também no Sertão. A agência não soube informar a percentagem exata de água disponível.
JC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

BILL GATES FAZ UM ALARMANTE PROGNÓSTICO SOBRE A PANDEMIA: “AINDA NÃO VIMOS O PIOR”

  O bilionário sustenta que a COVID-19 continua sendo uma ameaça para a sociedade e que a situação pode se agravar O fundador da empresa Mic...