sexta-feira, 31 de maio de 2019

Agnaldo Timóteo sai do coma induzido e respira sem ajuda de aparelhos

Cantor está com problemas de saúde desde o último dia 20 de maio. / Foto: Instagram/@agnaldotimoteo1936/Reprodução
Cantor está com problemas de saúde desde o último dia 20 de maio.
Foto: Instagram/@agnaldotimoteo1936/Reprodução
JC Online

O cantor mineiro Agnaldo Timóteo, de 82 anos, saiu do coma induzido e respira sem a ajuda de aparelhos. A informação veio do último boletim médico divulgado pelo Hospital Geral Roberto Santos, em Salvador, nesta sexta-feira (31). Os sedativos foram retirados na noite desta quinta-feira (30).
O artista deu entrada no hospital no último dia 21 de maio após sofrer, no dia anterior, um acidente vascular cerebral (AVC). Na última terça-feira (28), o quadro clínico do cantor se agravou, levando Agnaldo ao coma induzido e a respirar com a ajuda de aparelhos.

CONFIRA O BOLETIM NA ÍNTEGRA:


Agnaldo Timóteo está evoluindo em processo gradativo de melhora clínica. Ontem, à noite, foram suspensos os sedativos e, hoje, por volta de 12h, o paciente foi submetido, com sucesso, ao procedimento de extubação, estando, assim, respirando sem ajuda de aparelhos.
Agnaldo está internado na unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), em Salvador.

Petrobras reduz preço do diesel em 6% e da gasolina em 7% nas refinarias

Anúncio foi feito pela Petrobras nesta sexta-feira (31) / Foto: Agência Brasil
Anúncio foi feito pela Petrobras nesta sexta-feira (31) 
Foto: Agência Brasil
JC Online e Estadão Conteúdo
Atualizada às 21h22

A partir deste sábado (1°) o preço da gasolina e do diesel serão reduzidos em 7% e 6%, respectivamente, anunciou a Petrobras nesta sexta-feira (31). O reajuste médio da gasolina será de -R$ 0,1399/ litro e o do diesel de -R$ 0,1383/ litro.
A companhia não informou os porcentuais de queda, mas, comparando os valores cobrados até esta sexta e o que valerá a partir deste sábado, é possível concluir que a revisão dos preços condiz com o anúncio do presidente. Até esta sexta, o litro da gasolina está sendo vendido nas refinarias, em média, a R$ 1,9543 e o óleo diesel, a R$ 2,3047. Em seu site, a empresa divulgou apenas o valor da queda, não informou nada sobre os porcentuais.
A Petrobras também discrimina o preço do litro do diesel e da gasolina em cada uma das suas refinarias e estações de entrega. Em Paulínia (SP), onde funciona a Replan, maior refinaria estatal, o litro da gasolina custará R$ 1,9927 a partir desse sábado. O valor em Duque de Caxias (RJ), município da Reduc, será de R$ 1,9732. A gasolina mais barata do País sairá de São Luís (MA), a R$ 1,7876 por litro; e a mais cara, de Brasília, onde custará R$ 2,0851.
Já o óleo diesel custará R$ 2,3214 em Paulínia e R$ 2,3147 em Duque de Caxias. O litro mais caro de diesel será vendido em Uberaba (MG), a R$ 2,4141. E o mais barato, em Itacoatiara (AM), R$ 2,1783.

Bolsonaro comemorou queda do preço


A redução consta no site da Petrobras e também foi anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro em seu Twitter. "A Petrobrás informa a redução de 6,0% no preço do DIESEL e 7,2% no preço da GASOLINA. Boa noite a todos!", escreveu.

Política de preços


A venda da gasolina e do diesel às refinarias tem influência da cotação internacional do petróleo e também do câmbio. Os preços anunciados pela Petrobras consideram a média aritmética nacional dos preços à vista e não levam em conta tributos.

No Twitter, Bolsonaro divulga queda nos preços do diesel e da gasolina


    José Cruz/Agência Brasil
O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), divulgou na sua conta do Twitter, na noite desta sexta-feira (31/05/2019), a redução do preço dos combustíveis no país, numa decisão da Petrobras. O chefe do Executivo comemorou a queda de 6% no preço do diesel e 7,2% no valor da gasolina. As informações são do Metrópoles.
Nesta tarde, durante uma viagem a Goiás, Bolsonaro almoçou com caminhoneiros em um restaurante popular de Anápolis (GO). Na ocasião, foi questionado sobre uma eventual queda no valor do diesel e respondeu: “O que mais pesa no combustível é o ICMS, que é do Estado. Não é a gente. Por isso que eu trabalho para privatizar o refino. Quanto mais tiver concorrência, melhor. Tá ok?”.

A categoria tem mantido diálogo com o governo desde o início do ano para cobrar medidas que ainda não foram implementadas após acordo firmado no ano passado, durante a gestão do ex-presidente Michel temer, que colocou fim à paralisação de 10 dias dos motoristas.
As negociações, contudo, irritaram trabalhadores do setor. Em abril deste ano, ameaçaram entrar novamente em greve geral, caso não tivesse as demandas atendidas pelo Executivo. Sem chegar a um consenso e com o aumento do preço do litro do diesel de R$ 0,10, a categoria voltou a falar sobre paralisação, mas dessa vez em maio.
Porém, para evitar um novo movimento, o governo federal recuou e incluiu a alta de 10,69% do óleo diesel no valor mínimo do frete. A Casa Civil ainda anunciou medidas para o setor de transportes rodoviários. Entre elas está a criação de uma linha de crédito de até R$ 30 mil para caminhoneiros autônomos que vai permitir a compra de pneus e a manutenção dos veículos.
A situação entre o Planalto e a categoria, contudo, continua instável. O setor segue dividido entre apoiadores e opositores à gestão de Bolsonaro.

DUAS LOJAS SÃO ROUBADAS DURANTE MADRUGADA EM ITAPETIM

Durante a madrugada desta sexta-feira (31), por volta das 2:10 da manhã, bandidos arrombam e roubam duas lojas na cidade de Itapetim. Segundo informações passadas ao nosso blog, os ladrões chegaram em um carro preto, na loja Aquarela Kids, já com a mala cheio de roupas, as quais já havia roubado em outra loja no bairro Paulo VI, como o veículo não tinha mais espaço, deixaram algumas peças na aquarela e levaram várias outras da citada loja, segundo as funcionárias foram roupas de criança e adolescentes. 
Na loja do Paulo VI, foram roupas masculinas e feminas, jóias, perfurmes entres outros.



Após deter pai de sete filhos por furto de comida, PMs doam cestas básicas à famíla

Uma equipe de soldados receberam a denúncia de que um rapaz de 26 anos havia furtado alimentos de uma casa na cidade Nova Veneza, em Santa Catarina. Após atender a ocorrência e prender um homem em sua residência, eles tomaram conhecimento da situação financeira de sua família e resolveram ajudar por meio da entrega de cestas básicas. As informações são da Rede TV!.
O suspeito disse aos policias que o furto aconteceu porque ele e sua família, composta de sete filhos e sua esposa, estavam há dias sem comer.
Conforme o policial Dalcione Rosso, o suspeito que não tinha passagem pela polícia alegou que ficou desesperado, porque na noite anterior viu sua filha indo dormir sem comer.
Os militares ficaram sensibilizados com o caso assim que começou a atender a ocorrência. Quando saíram da delegacia, juntamente com o colega, o soldado Assis, decidiram ajudar as crianças e tentar mudar a realidade daquela família.
A pessoa que denunciou o roubo em sua casa também se sensibilizou com a situação e decidiu contribuir com a doação.
O furto aconteceu na última segunda-feira (27/05). O suspeito foi solto no mesmo dia, após prestar depoimento, e responderá ao inquérito em liberdade.
De acordo com a PM, além dos alimentos furtados, o suspeito levou vários outros pequenos objetos, além de uma espingarda de pressão.

Em Soledade-PB: Pai e mãe de bebê morta estuprada são presos

O pai e a mãe da bebê de nove meses que morreu em Soledade foram presos na tarde desta quinta-feira (30) pela Polícia Militar. As informações foram confirmadas pelo delegado da Polícia Civil, Durval Barros, que está à frente do caso na cidade.
Apesar dessas informações, ele ainda não deu detalhes sobre onde eles foram presos, o que teriam dito em depoimento e se permanecerão detidos.
A bebê de nove meses teve uma convulsão, foi levada para o Hospital de Soledade pela mãe, onde morreu. Os médicos identificaram ferimentos nas partes íntimas da criança e acionaram a polícia após suspeitarem de que ela havia sido estuprada.
Após exames cadavéricos, foi constatado que a criança foi violentada sexualmente.

Portal Correio

Suspeitos de ataques a bancos são presos em mansão de luxo de presidiário no sertão da Paraiba

A Polícia Militar desarticulou uma quadrilha que estaria envolvida nos ataques a bancos das cidades de São Bento e Bom Sucesso, ocorridas nos dias 22 e 29 deste mês, no Sertão da Paraíba. O grupo, formado por três homens e uma mulher, foi localizado na mansão de luxo de um presidiário, na tarde desta quinta-feira (30), durante a operação Rotas, na Zona Rural de São Bento. 
Na residência, foi apreendida uma pistola e três carros, sendo um deles com todas as caraterísticas descritas por testemunhas da ação contra o banco de São Bento. Apenas um dos presos é paraibano, da cidade de Catolé do Rocha. Os outros são da cidade de João Dias, no Rio Grande do Norte. 
O grupo pode ter atuação interestadual, já que o presidiário que é dono da casa onde os acusados estavam escondidos, cumpre pena por tráfico de drogas e contrabando em um presídio no estado do Mato Grosso. Eles serão apresentados na Delegacia de Polícia, em São Bento.

Plano de contingência

A prisão do grupo, que teve apoio do Ministério Público, após a PM levar informações sobre os suspeitos, faz parte do plano de contingência que a Polícia Militar lançou para o Sertão, inclusive com reforço da estrutura logística para combater as quadrilhas. Novas armas de grosso calibre foram enviadas pelo comandante-geral para os policiais que atuam na região. 
Além de São Bento, a Operação Rotas, que faz parte do plano de contingência, acontece também nas cidades de Igaracy, Aguiar, Itaporanga, Nova Olinda, Santana dos Garrotes, Pedra Branca, Boa Ventura, Diamante, São José de Caiana, Princesa Isabel, Manaíra, Tavares, Juru, Água Branca, Imaculada, Cajazeiras, São João do Rio do Peixe, São José de Piranhas, Carrapateira, Bonito de Santa Fé, Monte Horebe, Uiraúna, Poço Dantas, Triunfo, Santa Helena, entre outras.

Portal Correio

Cremepe investiga caso de grávida que deu a luz em cadeira de rodas em hospital de Goiana

Caso aconteceu na madrugada do último domingo (26) e foi filmado.  / Foto: Reprodução/TV Jornal
Caso aconteceu na madrugada do último domingo (26) e foi filmado.
Foto: Reprodução/TV Jornal
JC Online

O Conselho Regional de Medicina do Estado de Pernambuco (Cremepe) está investigando o caso da gestante que deu a luz em uma cadeira de rodas, na recepção de um hospital em Goiana, Região Metropolitana do Recife. O caso aconteceu na madrugada do último domingo (26), quando uma mulher de 35 anos, grávida de gêmeos, chegou ao Hospital Belarmino Correia, transferida de ambulância, após uma viagem de 11 quilômetros, saindo de Condado, na Zona da Mata Norte, onde ela mora.
O caso foi filmado e as imagens mostram a mulher sendo atendida na recepção, sentada na cadeira de rodas. Uma enfermeira auxiliou no parto e, após alguns minutos, o primeiro bebê nasce. Em seguida, a paciente foi levada para a sala de parto, onde nasceu o segundo ilho, com o suporte médico adequado. Mãe e filhos passam bem.
Em nota oficial, o Cremepe informou que abriu um expediente para investigar o caso e que o procedimento acontecerá em sigilo. O caso será apurado, as partes envolvidas serão chamadas e pode evoluir para uma sindicância, um processo ético ou até mesmo ser arquivado.

Nota do Cremepe


O Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) esclarece que recebeu a informação do ocorrido e abrirá um expediente no Conselho para apurar os fatos. A investigação corre em sigilo processual.

Secretaria de Saúde


A Secretaria de Saúde do Estado também se manifestou por meio de nota, informando que a mulher chegou do município de Condado já em trabalho de parto. De acordo com a direção do hospital, a decisão de realizar o parto da mãe na recepção da unidade foi tomada pela enfermeira, para preservar a saúde da mulher.

Manifestantes foram às ruas protestar contra cortes na educação

Organização estima a participação de 40 mil pessoas  / Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Organização estima a participação de 40 mil pessoas - Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
JC Online

Milhares de pessoas estiveram na ruas do Recife, durante a tarde desta quinta-feira (30), em protesto contra o contingenciamento de verbas para a educação. O ato foi convocado pela União Nacional dos Estudantes (UNE), mas também contou com a presença de professores e sindicatos, além de políticos. Os manifestantes começaram a se concentrar na Rua da Aurora, área central do Recife, por volta das 14h, para o que chamam de "Segundo Dia Nacional de Mobilização em Defesa da Educação". A organização estimou que 40 mil pessoas participaram do protesto. A Polícia Militar não divulgou o número de manifestantes. Os atos também aconteceram em várias cidades do Brasil.
De acordo com Ranielle Vital, vice-presidente da UNE em Pernambuco, o motivo das manifestações de hoje é “manter a mobilização das ruas”. No dia 14 de junho, os sindicatos e movimentos estudantis prometem a realização de uma greve geral.
A estudante de enfermagem da UPE, Ana Beatriz, estuda no campus Vitória e hoje saiu do município para a Capital para participar do ato. “Viemos porque é importante defender a educação, são nossos direitos e eles não foram dados gratuitamente, viemos por nós todos”.
Antes do início do ato, os professores organizaram uma sessão do "Universidade nas Ruas", como uma aula pública. "Esse é um ato em defesa da educação pública e é importante que a gente esclareça a sociedade o quanto possível sobre aspectos jurídicos, econômicos e administrativos desse contingenciamento. O que está acontecendo é uma grande ameaça à educação pública em razão de um contingenciamento fundado em uma política de flexibilização orçamentária que viola aquilo que foi estabelecido como instrumento de orçamento público. O ministro da Educação está utilizando o contingenciamento como uma forma de retaliação à universidade, que é um espaço de reflexão crítica, de produção de saber autônomo. Não pode contingenciar verbas sem uma motivação legal", disse Liana Cirne, professora da Faculdade de Direito do Recife.
O proteste seguiu pela Avenida Mário Melo, Parque Treze de Maio, Avenida Conde da Boa Vista e Praça do Diário. 

Sindicatos


Apesar de convocada por estudantes, os sindicatos também encorparam a manifestação, como o dos Policiais Civis. “O policial também é cidadão, não está isolado, também é trabalhador. A gente vai estar lutando muito contra essa agenda anti-povo do governo Bolsonaro, contra esses cortes na educação. No momento que há investimento em todo o mundo na educação, o Brasil vai na contramão da civilização anunciando esses cortes. A questão da reforma da previdência, cruel e perversa para o povo. Inclusive, vai aumentar a desigualdade social. Também contra essa lei anti-crime, que não é nada de anti-crime é lei de encarceramento em massa. Essa agenda anti-povo a gente não pode deixar ela continuar, por isso que a gente está aqui”, disse Áureo Cisneiros, presidente do Sinpol. “Esses atos são todos interligados. Claro que é um ato menor porque foi muito em cima um ato do outro, mas este ato está também no calendário dessa luta nossa contra essa pauta anti-povo do governo Bolsonaro, inclusive o dia 14 de junho, com a Greve Geral. Rumo ao dia 14”, acrescentou.

Políticos 


Políticos também marcaram presença no ato. Marília Arraes (PT), Túlio Gadelha (PDT), Kátia Cunha do mandato coletivo das Juntas codeputadas estaduais (PSOL), Luciano Siqueira (PCdoB), foram alguns dos nomes presentes na manifestação. 
O deputado estadual Isaltino Nascimento (PSB), líder do governo Paulo Câmara na Alepe, inclusive, discursou na manifestação. Ele participou também do ato no último dia 15 e anunciou a presença no próximo ato, que deve acontecer no dia 14 de junho. “Hoje, quem quer um país democrático está aqui nas ruas”, disse durante o discurso. “Começou com o dia 15 e agora o dia 30, mostrando que não é só o professor, profissional de educação, estudantes, mas a sociedade brasileira como um todo defende a democracia, a liberdade e o conceito maior de país, acumulando forças para que a gente possa fazer uma grande Greve Geral, dia 14 de junho”, afirmou após discurso. Ao final do seu discurso no trio, ele puxou uma vaia para Bolsonaro.

Agnaldo Timóteo está em coma induzido, mas apresenta melhora, diz hospital

O cantor Agnaldo Timóteo, internado em UTI de hospital de Salvador após sofrer AVC, está em coma induzido, segundo aponta boletim médico divulgado na manhã desta quinta-feira (30), pelo Hospital Roberto Santos (HGRS).

Apesar da informação só ter sido divulgada nesta quinta, a unidade de saúde informou que o artista foi colocado em coma induzido na manhã de terça-feira (28).

A unidade acrescenta que o quadro de saúde do artista está evoluindo, com melhora progressiva dos parâmetros clínicos, mantendo ainda critérios de gravidade.

O boletim destaca ainda que Agnaldo tem boa resposta aos antibióticos e está sem febre. Ele também está sendo alimentado pela via venosa, para deixar o intestino recuperar a função.

Agnaldo foi transferido para a unidade médica no dia 21 de maio, um dia após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC), em Barreiras, no oeste da Bahia. O cantor iria se apresentar em um município vizinho e estava hospedado na cidade, quando teve um mal-estar.

Inicialmente, Agnaldo deu entrada em uma Unidade de Pronto Atendimento (Upa) de Barreiras, contudo, acabou levado para o Hospital do Oeste, na mesma cidade, onde passou a noite. Da unidade médica, o cantor seguiu para Salvador, em uma unidade de terapia intensiva (UTI) aérea.

Na terça-feira (28), oitavo dia de internação, o quadro clínico do cantor se agravou, após uma infecção urinária e outras complicações, e Agnaldo passou a respirar com a ajuda de aparelhos. Na manhã desta quarta-feira, um outro boletim apontou uma "discreta melhora" no quadro de saúde do cantor. (Fonte: G1/  Foto: Blogbraga/ Repórter Ivonaldo Paiva)

Criança de seis anos foi torturada com pedaço de ferro antes de morrer


    ANDRE BORGES/ESP. METRÓPOLES
Sabrina de Jesus Cabral, de seis anos, que morreu após ser espancada pelos tios, foi torturada antes de falecer, em Planaltina de Goiás (ou Brasilinha), nessa quarta-feira (29/05/2019). Após apanhar, a menina teria sido deixada ao relento. O irmão, de 8 anos, relatou que ela foi castigada com um vergalhão de ferro e um pedaço de madeira. O delegado do Grupo de Investigações de Homicídios (GIH) de Planaltina de Goiás, Antônio Humberto Costa, confirmou o caso. As informações são do Metrópoles.
As crueldades cometidas contra Sabrina chocaram o próprio delegado. “A explicação é tão absurda quanto o ato em si. Eles saíram pela manhã e deixaram as crianças sozinhas, trancadas em casa, e, quando souberam que elas pediram comida aos vizinhos, ficaram com raiva, castigaram e agrediram os meninos”, revelou.
Além de Sabrina, os tios – Bruno Deocleciano da Silva, 19 anos, e uma menor de 17 – maltratavam e agrediam outras três crianças: um menino de 8 anos, uma menina de 4, e outra de 1. Elas apresentavam sinais de violência que, segundo o delegado do caso, indicam prática de tortura.
“Através da coloração das lesões, é possível ter uma ideia de quando elas foram praticadas. Isso é uma característica de tortura”, apontou Antônio Humberto. “Nós, que estamos acostumados a trabalhar com violência, achamos esse caso particularmente chocante. Uma violência absurda. Um fato animalesco. Uma selvageria sem precedentes”, completou.
Um vizinho, que chegou ao local na tentativa de socorrer Sabrina, expôs que a menina tinha espuma branca na boca e reclamava de dores no peito.
Sem arrependimentos
O delegado garantiu que os agressores não demonstraram arrependimento no momento do depoimento. Segundo a tia, Sabrina tentou se esconder debaixo da mesa e, mesmo assim, foi agredida com chutes na cabeça.
Outra menina, de 4 anos, está internada no hospital e apresenta lesões antigas, como marcas de ferro de passar roupa. Os conselheiros tutelares contaram que as crianças comeram de forma desesperada ao chegar ao centro de saúde. 
Agressões constantes
De acordo com vizinhos e policiais ouvidos pela reportagem do Metrópoles, os atos de violência contra as crianças eram recorrentes. O pedreiro Antônio Jares, 33 anos, contou que o último episódio presenciado por ele ocorreu na noite de terça-feira (27/05/2019).
“Por volta de meia-noite, eu abro a janela e vejo a tia arrastando a menina pelos cabelos aqui na rua. Era um relacionamento conturbado. Escutávamos brigas todos os dias.”
Ainda segundo o vizinho, o casal circulava com as crianças no bairro, a cerca de cinco meses.
“Nós já havíamos denunciado outras vezes. A polícia vinha, eles não abriam a porta, e as autoridades iam embora. Ouvíamos os meninos chorando. Eles passavam o dia fora e deixavam as crianças chorando em casa, sem comida. Era um casal intimidador. Tínhamos medo de virar alvo e ficávamos neutros. Nessa quarta, a minha esposa resolveu chamar o conselho [Conselho Tutelar], e foi quando recebemos a informação da morte de uma das crianças”, comentou.
A diarista Maria Josué, 56, é vizinha do casal e mora na casa onde as crianças pediram comida na manhã dessa quarta-feira (29/05/2019). “Nós sempre dávamos. Às vezes, ouvia as crianças gritando e perguntava o que estava acontecendo, mas eles diziam que não era nada. Nesse dia, ele se arretou, ficou com raiva e fez o que fez”, observou.
Ela comentou ainda que tinha um bom convívio com Bruno. “Ele vinha aqui e conversávamos. As crianças deles também brincavam com as minhas. Nunca havíamos visto marcas. Eles andavam sempre limpos, calçados e vestidos. Estou chocada”, apontou Maria.


Pais presos

Os pais das quatro crianças, Silvoney de Jesus dos Santos e Daniela de Jesus Cabral, foram presos na 13ª Delegacia de Polícia (Sobradinho). Depois disso, a tia foi buscar as crianças.
A reportagem esteve no Hospital Santa Rita de Cássia, onde as três vítimas continuam internadas. A assistência social confirmou que parentes e amigos dos pais das crianças estiveram na unidade de saúde para visitá-las. Durante a entrevista com o serviço social, elas foram dóceis e não quiseram se separar.
Nesta tarde, duas crianças serão encaminhadas ao orfanato. A assistência social do hospital está recebendo doações de roupas, comida e brinquedos. Eles também informaram que muitas pessoas apareceram no local com o intuito de adotar os três irmãos. 
Por NATHÁLIA CARDIM
Fonte: Ronda 180

Homofobia: jovem é brutalmente agredido e pessoas se mobilizam para ajudá-lo

Na noite do dia 8 de dezembro de 2018, o estudante Jefferson Anderson Feijo da Cruz, 22 anos, foi brutalmente agredido. Motivo? Homofobia. Com graves sequelas desta agressão, hoje, seu estado exige cuidados máximos que não podem ser custeados pelos pais. Para ajudar no tratamento do Jefferson, a família, juntamente com outras pessoas sensibilizadas pela sua história, criaram uma vaquinha virtual.
Jeff, como é chamado carinhosamente por todos que o conhece, saiu com os amigos para celebrar a sua aprovação de mais um ano letivo. Se reuniram na praça da cidade, em Moreno, Pernambuco, para conversarem e se divertirem. Em um determinado momento, por volta das 2h30 da manhã, o estudante informou aos amigos que iria ao banheiro e que já voltava. O estudante demorou para voltar. Os amigos deram falta dele e foram procurá-lo.
Até que o acharam, embaixo de uma laje, desacordado, ensanguentado, sem roupa, sufocando no próprio sangue. Jeff foi assaltado e brutalmente agredido, deixado para morrer sozinho. Seus amigos chamaram o Samu e o mesmo foi levado para o hospital. Chegando lá, o médico o transferiu para o HR (Hospital da Restauração) em Recife, pois seu estado era muito grave”, informa o texto publicado na página do Facebook Lute como Ele, criada por Robhério Limma, defensor do movimento LGBT+ e que abraçou a causa apadrinhando o Jefferson para ajudá-lo nesta luta.
jovem vítima homofobia ajudado desconhecidos
Devido à brutalidade da agressão, foram constatadas várias lesões no corpo como no pulmão e traumatismo craniano. “Ele estava com um coágulo que comprimia o cérebro e teve que ser operado às pressas. Jeff passou quase um mês em coma”, diz o mesmo texto.
Após um mês em coma, Jefferson acordou, mas não era mais o mesmo. Não falava, não andava e nem expressava reações. Precisou fazer uma traqueostomia para melhorar sua respiração e só se alimentava por sonda. Depois de cinco meses internado, ele recebeu alta.
jovem vítima homofobia ajudado desconhecidos
Seu estado exige cuidados máximos que não podem ser custeados por seus pais e amigos. Ele precisa de aparelhos específicos, de uma enfermaria em casa, pois vai sair traqueostomizado. O mesmo precisará de alimentação especial, fraudas, fisioterapia. Mesmo de alta ainda não foi embora, pois precisa montar enfermaria em casa.”

O que diz a família do Jefferson

Conversamos com o pai do Jefferson, o senhor Marcos Cícero da Cruz, 53 anos. Ele relatou que está sendo tudo muito difícil, porém, tem recebido apoio de todos os lugares do país, e isso tem ajudado-os a ter mais força.
A gente vê um menino de 22 anos, com a vida inteira pela frente, do bem, que não tinha problemas com ninguém, de repente passar por isso. Mas graças a Deus muita gente está nos ajudando de várias formas, quando não é com doação, é com a divulgação da vaquinha, ajudando em orações. Tudo que for feito em prol dele está sendo uma benção”.
jovem vítima homofobia ajudado desconhecidos
jovem vítima homofobia ajudado desconhecidosEle informou também que tem muita fé de que o filho vai se recuperar.
Ele vai voltar a ser aquele menino extrovertido, sorridente, bom amigo. Se deixar, eu passo a dia inteiro falando das qualidades do meu filho. O meu sentimento não é de raiva, nem de revolta, não quero que façam o mesmo com o agressor, não quero o mal dele, até porque, do outro lado vai ter também familiares que iriam passar pela mesma coisa que nós. Só desejamos justiça e que ele pague pelo o que fez com o meu filho“.